Dunlop traz 5 dicas para gestantes na direção no mês da Mulher

Dunlop traz 5 dicas para gestantes na direção no mês da Mulher

Uma dúvida muito comum entre as mulheres é saber até quando podem dirigir durante a gravidez. Será que é possível seguir guiando? E como ficar confortável ao dirigir?

As futuras mamães se preocupam em manter o bebê seguro muito antes de tê-los em seus braços. E por isso, surge a dúvida do momento certo de parar de dirigir. De acordo com a legislação de trânsito brasileira, esse tempo não está delimitado. Entretanto, além de sempre seguir as recomendações médicas e respeitar as características e situações individuais, alguns cuidados básicos devem ser tomados para garantir a segurança do bebê e da mamãe na direção.

Neste contexto, a Dunlop Pneus reuniu abaixo 5 dicas interessantes para as mulheres que estão vivenciando esta fase tão importante.

1 – Se a gestante não tiver nenhuma restrição médica, é possível dirigir com segurança até cerca de 34 semanas (aproximadamente oito meses). Deve-se evitar no último mês porque a posição do bebê começa a comprimir a bacia, o que pode causar desconforto e cólicas.

2 – O cinto deve ser colocado da mesma forma de quando a mulher não está grávida. As gestantes precisam usar o cinto de segurança colocando a parte de ombro posicionada sobre a clavícula, ou seja, entre o pescoço e acima do braço, e a tira de baixo sob o abdômen, o mais baixo possível. O cinto de segurança nunca deve ficar sobre ou acima da barriga, e não se deve usar adaptadores que possam afrouxá-lo. Ele precisa ficar confortável e cruzar todo o peito.

3 – Para melhorar a tensão da região lombar, a gestante pode posicionar uma pequena almofada na região e ajustar a poltrona também para que o volante fique ligeiramente alto e inclinado em direção ao peito em vez de ficar na direção do abdômen.

4 – Após o parto, não há tempo exato para voltar a dirigir. Caso não haja restrição médica e a mulher tenha passado por uma cesariana, é recomendado voltar depois de 40 dias. Se o parto for normal, os obstetras afirmam que é possível voltar ao volante 15 ou 20 dias depois.

5 – Mulheres grávidas correm risco maior de ter queda de pressão, ou seja, sempre que possível é recomendado que a gestante seja uma passageira. É aconselhável evitar longos trajetos e viagens e, se possível, optar por serviços de táxi ou aplicativos de motorista particular, além da boa e velha carona.

Outro assunto que sempre destacamos, agora que você já conheceu algumas dicas para aumentar a segurança na direção, é a manutenção preventiva do veículo, fundamental para garantir a segurança de todos na via. E quando falamos em manutenção, não podemos esquecer dos pneus, que por ser o único ponto de contato do carro com o solo, possuem funções extremamente importantes na segurança do veículo, atuando como uma peça essencial no transporte de vidas. Para obter a máxima eficiência desse item, a Dunlop traz algumas dicas do que se deve fazer sempre:

•           Calibrar os pneus semanalmente;

•           Realizar corretamente seu rodízio;

•           Respeitar a carga máxima suportada pelo veículo;

•           Evitar arrancadas e freadas bruscas;

•           Substituir os pneus antes de chegarem na marca de segurança (TWI);

•           Realizar inspeções regulares no estado geral dos pneus, além de garantir o bom estado dos itens da suspensão do veículo e geometria;

“A Dunlop é uma empresa que preza pela confiança de seus clientes e por isso trabalha para oferecer as principais tecnologias que garantam segurança e conforto para todos. Entendemos que há mudanças de alguns hábitos no dia a dia durante uma gestação, e para as gestantes que dirigem frequentemente, reunimos estas dicas para mostrar que elas podem seguir sua rotina dirigindo normalmente adotando essas recomendações enquanto esperam seus bebês”, diz Rodrigo Alonso, Diretor de Vendas e Marketing da Dunlop.

Deixe um comentário